Qual a documentação exigida na compra e venda de veículos?

Comprar um carro está incluído nos sonhos de muitos brasileiros e acaba representando um momento de alegria. O futuro proprietário do veículo deve, no entanto, estar ciente que existe uma documentação exigida para o momento da compra – além do pagamento de taxas e impostos. É importante, por exemplo, estar atento a possíveis restrições que possam impedir a venda.

Nos casos de carros usados – o nosso destaque do blog Simples Veículo -, o futuro proprietário deve estar atento a possíveis restrições judiciais ou até mesmo débitos anteriores dos proprietários. No momento em que estiver avaliando a compra do veículo, o cliente pode pedir para verificar também sua documentação.

Carro escolhido, negócio fechado? Começam aí os trâmites de transferência do veículo entre o proprietário antigo e o novo. É possível deixar este trabalho para os despachantes, mas aqueles que desejam economizar e realizar tudo pessoalmente, precisam estar atentos a alguns detalhes.

Por exemplo, a transferência de propriedade deve ser feita em um prazo de 30 dias. Os débitos referentes ao licenciamento, multas, seguro obrigatório e IPVA devem estar quitados no momento da transferência. Com o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) em mãos, o comprador deve ir até um dos bancos conveniados para pagar a taxa referente à emissão do novo Certificado de Registro do Veículo (CRV).

Para a transferência, os documentos necessários são:

– CRV preenchido e assinado pelo antigo dono, com firma reconhecida em cartório

– Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (original e cópia)

– RG, CPF do novo proprietário (original e cópia)

– Comprovante de endereço do novo proprietário (original e cópia, com data de até três meses anteriores)

– Duas vias do formulário do RENAVAM, que deve ser solicitado nos Detrans de cada Estado – a maioria está disponível nos respectivos sites.

– Dois decalques do chassi do veículo

– Comprovante dos pagamentos da taxa de emissão da nova CRV e, se houver, dos demais débitos.

ATENÇÃO – Se a transferência estiver acontecendo entre proprietários de municípios diferentes, será exigida uma nova vistoria e emplacamento do veículo. Os valores e bancos conveniados para pagamentos podem ser consultados no Detran.

Depois de todos os procedimentos realizados, o novo proprietário deve levar ao Detran o recibo de quitação original e cópia deste e de outros débitos pagos, além dos documentos acima descritos. Não se esqueça de levar o CRV original e com firma reconhecida em cartório para autenticidade do vendedor e do comprador, o laudo de vistoria de identificação veicular e o formulário do Renavam preenchido em duas vias originais.

Gostou das dicas? Fique atento ao blog da Simples Veículo para saber mais sobre seu assunto preferido!

Como usar uma nota promissória?

A nota promissória é um título executivo extrajudicial que ainda é bastante utilizado comercialmente. Isso quer dizer, na prática, que a nota nada mais é do que um documento que formaliza uma promessa de pagamento. O advogado Vinícius Alexandre Rezendes Fabrício explica que o comprador (neste caso, o emitente da nota) se compromete a pagar certa quantia ao beneficiário, em uma data estipulada entre eles.

Caso a nota não seja paga ao credor até a data de vencimento, poderá ser protestada. É possível, também, que o credor faça a cobrança por via judicial – que acontece se a parte estiver representada por um advogado legalmente habilitado.

Para que a nota tenha a força executiva, a legislação exige que alguns requisitos sejam preenchidos.

Para isso, o documento deve conter, portanto:

  • A denominação “Nota Promissória” lançada no texto do título.
  • A promessa de pagar uma quantia determinada.
  • A época do pagamento. Caso não seja determinada, o vencimento será considerado à vista.
  • A indicação do lugar do pagamento. Em sua falta, será considerado o domicílio do subscritor (emitente).
  • O nome da pessoa a quem, ou à ordem de quem, deve ser paga a promissória.
  • A indicação da data e do lugar onde a promissória é passada. Em caso de omissão do lugar, será considerado o designado ao lado do nome do subscritor.
  • A assinatura de quem passa a nota promissória (subscritor).
  • Sem rasuras, pois, dessa forma, perde o valor a nota promissória.

Não há necessidade da indicação do motivo que deu origem à nota, uma vez que trata-se apenas de uma promessa de pagamento. A rigor, o prazo de prescrição para a cobrança da nota promissória é de três anos, a contar de seu vencimento.

Fique ligado no blog da Simples Veículo para mais dicas como essa!

Vender pela internet não é um bicho de sete cabeças

O comércio eletrônico requer um pouco mais de atenção do empreendedor, uma vez que utiliza um espaço virtual para mostrar aos clientes os produtos e serviços oferecidos. Isso não quer dizer, no entanto, que essa opção é muito mais difícil do que o comércio comum.

Veja algumas dicas de como entrar de vez no mercado digital:

 

SITE FUNCIONAL E SEGURO

Você precisa ter um site funcionando a todo vapor, e seu cliente deve, via de regra, encontrar de forma fácil tudo aquilo que o seu e-commerce disponibiliza. Muitos anúncios, imagens pequenas e site lento são alguns dos exemplos do que fará o cliente desistir facilmente de você.

Fique atento, também, à segurança do seu negócio. Muitas empresas oferecem serviços de proteção que bloqueiam ataques e garantem operações seguras. Isso te ajudará bastante!

 

CONTATO COM O CLIENTE

Normalmente os sites de vendas de carros funcionam como uma vitrine online: o cliente confere o produto e depois vai até a loja pessoalmente para avaliar a compra e retirá-lo. Certifique-se de estar disponível para eventuais dúvidas que o cliente possa ter antes do contato pessoal. Um bom relacionamento via internet pode ser fundamental para que você feche o negócio.

 

DIVULGAÇÃO

Seu site está pronto e funcionando. Ok! O próximo passo é a divulgação de seu negócio. Para isso, você pode pensar em e-mail marketing, banners em blogs e portais de notícias e também ferramentas como o Google Adwords e SEO. Você vai gastar um pouco para ter um retorno maior depois!

 

REDES SOCIAIS

Experimente usar as redes sociais para impulsionar seus negócios. Mostrando seus produtos através de imagens e vídeos, por exemplo, você poderá receber um retorno muito mais rápido. A partir do momento em que você construir uma relação sólida com seus clientes, as vendas acontecerão de forma natural.

 

Gostou das dicas? Fique atento ao blog da Simples Veículo para saber mais sobre seu assunto preferido!